domingo, 22 de janeiro de 2017

Feirense 1-0 Estoril | Declarações dos treinadores

«Este ano, 30 pontos não devem ser suficientes para a permanência»

Nuno Manta, treinador do Feirense, satisfeito com a vitória frente o Estoril, mas lembra que «ainda há um longo caminho a percorrer»
Nuno Manta, treinador do Feirense, em conferência de imprensa após a vitória por 1-0 sobre o Estoril:

«Era um jogo extremamente importante para o Feirense porque jogámos contra um adversário direto. A vitória é muito positiva para o Feirense. Sabemos que é a primeira jornada da segunda volta, faltam disputar 16 jornadas, muitos pontos. Há um longo caminho a percorrer e penso que este ano 30 pontos não devem ser suficientes [para a permanência]».

«Tudo o que tínhamos projetado para o jogo, os jogadores interpretaram muito bem. O Feirense e o Estoril criaram situações. É evidente que o Estoril na segunda parte, com mais bola na área, mais situações de bola parada, teve mais perto de poder fazer o golo do empate. Nós também nos ataques rápidos que fizemos, também poderíamos ter feito o segundo. Não o conseguimos e segurámos a vantagem com unhas e dentes».



Pedro Carmona: «Um dia vamos ter nós a sorte e isto vai mudar»

Treinador do Estoril diz que «equipa mudou drasticamente» desde que chegou, embora ainda não tenha pontuado

Pedro Carmona, treinador do Estoril, em conferência de imprensa após a derrota por 1-0 com o Feirense:

«Começámos mal a primeira parte e isso penalizou-nos, mas na segunda parte fomos muito melhores do que o Feirense e não merecemos este resultado. Merecíamos ter, pelo menos, marcado um golo».

«É uma derrota importante. Deveríamos ter pelo menos empatado, ter tirado algo positivo desta visita. Mas o futebol é assim. Há que levantar a cabeça e pensar no próximo jogo e no final ter conseguido o máximo número de pontos nesta segunda volta. Se fizermos mais de 30 estamos seguros. Até agora fizemos 15, na segunda volta vamos fazer outros 15 ou 20».

[Preocupa-o que a equipa ainda não tenha somado pontos consigo?] «Preocupar-me-ia muito mais se a equipa não tivesse mudado. Queria que a equipa tivesse mais pontos, mas a realidade é outra. De qualquer forma, desde que cheguei, a equipa mudou drasticamente. Muitas vezes tivemos pouca sorte. Perdemos jogos com golos de canto, de grandes penalidades no último minuto. Preocupado? Todos querem ganhar. Vamos tentar ser mais ativos e lutar com mais vontade e mais confiança».

[Seis derrotas consecutivas é a pior forma de receber o FC Porto?] «Receber o FC Porto é sempre negativo porque é um rival complicado, ainda mais estando com tantas derrotas. Mas um dia vamos ter nós a sorte e isto vai mudar. A equipa está a trabalhar bem, em algum momento vai dar resultado».

in: MaisFutebol.iol.pt

Sem comentários: