sábado, 18 de fevereiro de 2017

Feirense 0-1 Boavista | Declarações dos treinadores

Nuno Manta: «Faltou-nos intensidade e agressividade ofensiva»

Nuno Manta Santos, treinador do Feirense, em declarações no final da partida que resultou na sua primeira derrota em casa, diante do Boavista, neste sábado.

«Como eu tinha dito, foi um jogo extremamente tático, contra um adversário que tem muito valor e que é uma equipa muito pragmática a jogar fora de casa. Na primeira parte o jogo foi muito equilibrado e houve muita disputada de bola no meio, com muitos duelos individuais e em que as equipa se tentaram anular uma à outra e em que talvez tenha havido mais situações de finalização para o Boavista na primeira parte. Na segunda parte entrámos melhor, começámos a ter mais oportunidades, mas numa transição após uma bola parada nossa, o Boavista chegou ao golo da vantagem. Hoje, quem chegasse primeiro ao golo, conseguiria com um resultado positivo. O Boavista conseguiu e depois defendeu com todas as unidades, nós tentámos criar situações de finalização, mas não conseguimos. Há que dar mérito ao Boavista que nos anulou, mas faltou-nos alguma intensidade e agressividade ofensiva em alguns momentos. Vamos retificar isso porque no próximo domingo temos mais uma final para disputar.»

M. Leal: «A pantera está acordada e vai conseguir coisas bonitas»

Miguel Leal, treinador do Boavista, em declarações na sala de imprensa depois da vitória da sua equipa no terreno do Feirense, neste sábado.

«Eu tinha dito antes da partida que este jogo era uma final para nós, em função dos nossos objetivos. Foi um jogo de muita batalha, mas nós marcámos, ganhámos e convencemos. Eu acho que fomos claramente superiores, tivemos muito mais oportunidades e fizemos o que sabíamos que tínhamos de fazer para ganhar este jogo. Íamos enfrentar uma equipa muito forte aqui em casa, que estava num bom momento e tínhamos de estar no nosso melhor. E isso é fazer aquilo que o jogo pedia.»

[sobre o jogo com o FC Porto]

«Nós temos por norma encarar todos os jogos com a mesma responsabilidade, independentemente do adversário. Nós queremos sempre ganhar, e eu digo sempre aos meus jogadores – e não é pecado dizê-lo – que jogamos sempre para ganhar, mas se não pudermos ganhar, empatamos. Porque com isso vamos somando pontos. Essa tem sido a nossa filosofia, independentemente de quem seja o adversário. Importante é que hoje ganhámos os três pontos, o que nos permite quase, quase atingir a barreira que tínhamos estabelecido para conseguirmos a manutenção. E quando o conseguirmos vamos começar a pensar no segundo objetivo que é ficar do meio da tabela para cima. Acima de tudo, estou confiante de que vamos conseguir coisas bonitas e volto a dizer: a pantera está acordada.»

in: MaisFutebol.iol.pt

Sem comentários: