sábado, 18 de fevereiro de 2017

Feirense-Boavista, 0-1 (destaques)

Bulos terminou com a fome de golos em jogo anorético

A figura: Bulos

Estreia a titular com golo do avançado peruano, que relegou para o banco Schembri e surgiu como elemento mais adiantado no xadrez boavisteiro. Aos 40 minutos estivera muito próximo do golo num cabeceamento picado que Vaná teve de se esforçar para defender e que foi a única oportunidade de golo da primeira parte. Na etapa complementar concretizou a ameaça e deu o melhor seguimento a um excelente passe de Iuri Medeiros.

O momento: Bulos acaba com a fome da pantera

O jogo estava mais vivo no início da segunda parte e até parecia que era o Feirense a equipa por cima. Indiferente a isso, o peruano Bulos recebeu uma bola adocicada do pé de Iuri Medeiros e coroou com um golo a estreia a titular na equipa de Miguel Leal.

Positivo: Adeptos do Boavista

Mais do que encher a bancada que lhes estava destinada no estádio Marcolino de Castro, os adeptos axadrezados deram vida a um final de tarde que começou morno mas que arrefeceu com a parca qualidade dos primeiros 45 minutos. Imunes a isso, os aficionados da pantera fizeram sempre aquilo a que se propuseram e foram incansáveis no apoio. Cantaram, saltaram, gritaram... e festejaram muito o golo de Bulos. E foram talvez quem mais mereceu esse golo. O espetáculo depois do final da partida, na saudação à equipa foi o culminar de uma noite abrilhantada pelas gentes boavisteiras.

Outros destaques

Fábio Espinho: É o homem da batuta no futebol boavisteiro. Recua para perto dos centrais para ser ele a começar a construir desde trás e serve com muita qualidade os companheiros. Foi um oásis no futebol deserto de ideias da primeira parte e, na segunda, manteve a qualidade, já mais bem acompanhado pelos companheiros.

Vágner: Não teve muito trabalho ao longo da partida, mas esteve atento sempre que a equipa precisou. O melhor momento surgiu na grande defesa que fez aos 55', a negar o golo a Fabinho.

Cris: O capitão feirense foi uma autêntica carraça em cima dos adversários, sempre a tentar dificultar a construção ofensiva do Boavista. Não foi pela falta de empenho do capitão que o Feirense não foi mais feliz nesta noite.

Fabinho: A subida de rendimento do camisola 10 feirense na segunda parte foi fundamental para a melhoria do futebol praticado nesta partida. Depois de passar o primeiro tempo com muitas amarras defensivas, o jovem jogador do Feirense soltou-se e apareceu mais afoito na construção ofensiva. Aos 55 minutos viu Vágner negar-lhe o golo, num remate que parecia levar a direção do ângulo da baliza adversária.

in: MaisFutebol.iol.pt
 

Sem comentários: