quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Moreirense - Feirense, 1-1 | Mais um ponto na fuga à despromoção

Depois da euforia regressaram as contas da Liga a Moreira de Cónegos. A equipa de Augusto Inácio recebeu o Feirense e não foi além do empate a uma bola num jogo entre emblemas que procuravam uma janela de oportunidade para cavar uma almofada de conforto pontual para a linha de água.

O quadro começou a pintar-se com as cores dos cónegos, com Roberto a apontar um grande golo e Makaridze a defender uma grande penalidade, ainda na primeira parte, a deixar antever um Moreirense eficaz e conciso. Contudo, o Feirense não se atemorizou perante o Campeão de Inverno e igualou a contenda, num golo de Fabinho, a meias com Diego Galo.

Dois golos saídos de lances fortuitos, na ressaca de pontapés de canto mal resolvidos, valeram os tentos de um empate que acaba por se justificar face à produtividade de ambas as equipas.

Bicicleta de Roberto a animar

O encontro começou morno, muito musculado e sem grandes rasgos técnicos, muito por força da chuva intensa que se fez sentir e que tornou o relvado muito pesado. Bola cá, bola lá, sem grande sequência lógica ou domínio de algum dos conjuntos foi o espelho dos instantes iniciais.

Depois de um arranque a meio gás, com muita luta pela posse de bola, as emoções começaram a vir ao de cima na fase final da primeira metade. Roberto abriu o ativo ao minuto 37 com um grande golo, de pontapé de bicicleta. Ao tentar aliviar o perigo, Luís Machado chutou contra Fernando Alexandre, o que se traduziu numa assistência perfeita para o remate acrobático do atacante.

Apenas seis minutos depois, o Feirense teve uma oportunidade soberana para igualar o marcador, mas Makaridze negou o golo a Fabinho. Grande estirada do guarda-redes, em jeito de serenata à chuva, a fazer prevalecer o maior ímpeto do Moreirense nos lances decisivos de um final de primeira parte eletrizante.

Makaridze não chegou

Aos treze minutos da segunda metade Fabinho redimiu-se da grande penalidade desperdiçada, estando na origem do golo do empate. Roberto e Dramé chocaram no interior da área num lance que parecia controlado, Fabinho aproveitou a deixa e rematou de fora da área. Makaridze estava lá, mas Diego Galo desviou o esférico de forma decisiva para o fundo das redes.

Com a igualdade voltou a prevalecer o encaixe, o futebol não muito bem jogado manteve a incerteza no marcador até ao final, mas não mais houve astúcia para voltar a abanar as redes.

Em suma, um ponto para cada lado, que não agrada totalmente a Moreirense nem a Feirense, mas também não deixa qualquer um dos conjuntos com direito a grandes lamentações. Empate justo, nem Moreirense nem Feirense ousaram distanciar-se de forma confortável dos últimos lugares.

in: MaisFutebol.iol.pt

Como jogou o Feirense:
 Como terminou:



 

Sem comentários: