sábado, 18 de fevereiro de 2017

“Vai ser um jogo tático e intenso”

Nuno Manta revelou que esta vai ser uma final e quem vencer ficará muito próximo da permanência. Para o sucesso será necessário muito suor
O treinador do Feirense, ainda não perdeu em casa e se vencer o Boavista consegue algo inédito, três vitórias seguidas. Mas não espera tarefa fácil, pois o adversário só perdeu três vezes fora no campeonato

Atendendo à proximidade da barreira dos 30 pontos – que normalmente costuma ser suficiente para a permanência – assim pensam Feirense e Boavista –, Nuno Manta revelou que o jogo de hoje é encarado como uma autêntica final. “Para nós é uma final e para o Boavista também será. Quem ganhar, fica próximo do objectivo. Nós, desde o dia 20 de Dezembro que andámos a jogar finais, trabalhamos sempre para ganhar todos os jogos e tivemos mais uma semana intensa”, contou o treinador do Feirense, antes de elogiar a equipa de Miguel Leal. “Delineámos estratégias para o nosso adversário, que sabemos que é muito valoroso pelo sua globalidade. O Boavista é muito forte, tem jogadores fundamentais como o Iuri, o Schembri, o Renato, o Fábio Espinho, não querendo desvalorizar outros no processo ofensivo. Tem muito equilíbrio e solidez defensiva, não dá espaço ao adversário quando perde a bola e tem um grande espírito de equipa”, avaliou, perspetivando como será a partida e realçando também o histórico dos

Nuno Manta deixou muitos elogios aos boavisteiros axadrezados nos jogos realizados fora da casa: “Acho que vai ser um jogo muito tático e rico em termos de organização porque as duas equipas vão colocar muita intensidade. E é preciso ver que o Boavista só perdeu três jogos fora: FC Porto [3-1], Paços [2-1] e Braga [3-0]”. Apesar disso, Nuno Manta quer vencer e chegar à próxima receção ao Benfica mais tranquilo.“Não podemos chegar lá com 30, mas podemos com 31. Mas para já, só penso em chegar ao fim deste jogo com 28 pontos”. A única alteração em relação à vitória em Tondela (1-0), deverá ser a entrada do central Ícaro para o lugar do castigado Flávio Ramos

Só o V. Setúbal sofreu menos nos jogos em casa

Além dos resultados positivos, Nuno Manta também melhorou a solidez defensiva, que em casa se tornou mais evidente. Com o novo treinador, o Feirense realizou quatro jogos caseiros e obteve três vitórias – P. Ferreira (2-0), Estoril (1-0) e Rio Ave (2-1) – e um empate com o V. Guimarães (0-0). Só houve um golo sofrido, portanto, e o V. Setúbal, neste período na I Liga, foi o único a fazer melhor como anfitrião: não sofreu golos.

in: O Jogo
ANDRÉ BASTOS

Sem comentários: