segunda-feira, 13 de março de 2017

Demonstração de maturidade

Decorridas 25 jornadas do campeonato maior do futebol nacional o Clube Desportivo Feirense assegurou, quase matematicamente, a sua permanência na 1ª Liga.
foto: CD Feirense
Sempre que participou na prova maior, o clube mais representativo do Concelho da Feira acabou por regressar, na temporada seguinte, ao escalão secundário.

Daí que esta proeza do Feirense deva ser enaltecida. Tanto mais que foi conseguida depois de, a certa altura da competição, muitos terem como certa a descida à 2ª Liga.

A derrota frente ao F.C. Porto, contundente, mas apenas depois de com uma decisão, no mínimo discutível, do árbitro da partida, que logo aos quatro minutos viu uma grande penalidade, que resultou na expulsão de um seu jogador, e em golo para os visitantes, foi o despertar do Feirense.

Com Nuno Manta ao leme — e aqui nem se põe em causa o trabalho (e a competência) de o anterior técnico, o experiente José Mota — os feirenses transformaram-se. Começaram a ser temidos por todos (mesmo todos, basta atentarmos ao que se passou no jogo com o Benfica), os pontos somaram-se a um ritmo que impressiona, mas, acima de tudo, as suas exibições começaram a ser amplamente elogiadas pelos entendidos no pontapé na bola.

Já o escrevemos tempos atrás. Apostar na «prata da casa» foi uma decisão acertada dos responsáveis pelo clube. Uma decisão que contribuiu para o aparecimento de mais um bom treinador, que se junta a mais alguns que começaram a dar os seus primeiros passos no «Marcolino de Castro», e que hoje são técnicos de nomeada.

Agora que o Feirense assegurou a permanência, urge que os seus responsáveis trabalhem no sentido de fazer dele um clube de todo concelho. E, como se sabe, o Feirense nunca foi um clube que gozasse das simpatias de todo o concelho, muito por culpa de alguns dirigentes que o serviram, e que ostracizavam todos os outros das freguesias vizinhas. Também é certo, que há anos, essa pretensão era mais difícil de concretizar. Clubes como o Lusitânia de Lourosa e União de Lamas (sobretudo estes) ombreavam (e até o suplantavam) com o prestígio do Feirense. Mas hoje a projeção conquistada pelo Clube Desportivo Feirense, aliada um certo apagamento da «concorrência» concelhia, permite-lhe aspirar a uma implantação muito mais ampla em todo território das Terras da Feira.

O triunfo em Setúbal no passado sábado confirmou aquilo que no início deste ano se começara a vislumbrar: um Feirense com muita maturidade, que depois de um período critico se impôs como uma das boas equipas da Liga maior do futebol nacional.

Carlos Fontes

in: jornal CORREIO DA FEIRA

Sem comentários: