domingo, 5 de março de 2017

Feirense 0-1 Benfica | Declarações dos treinadores

Nuno Manta lamenta «ressalto» que decidiu o jogo
Treinador do Feirense elogia postura da equipa mas sublinha que vitórias morais não dão pontos

Nuno Manta, treinador do Feirense, comentando a derrota com o Benfica por 1-0 no final do jogo:

«Foi um jogo bom de se ver. Em termos táticos houve respeito das duas equipas uma pela outra. O Feirense com as suas armas tentou contrariar o jogo do Benfica. Conseguimos, à exceção daquele lance no final da primeira parte, em que um ressalto deixou um jogador isolado.»

«Na segunda parte subimos as linhas e condicionámos o Benfica. Eles foram mais fortes na finalização. Estou extremamente agradado e orgulhoso do que a equipa fez, mas vitórias morais não dão pontos. Poderia ter havido mais golos. Os guarda-redes estão lá para defender. Quem marca primeira tem sempre essa vantagem de poder defender. Foi o que fez o Benfica que fechou a baliza depois do 1-0 e criou-nos dificuldades.»

«Manutenção? Enquanto matematicamente não for seguro, temos de continuar a trabalhar para conseguir esses pontos.»

«Balneário? A equipa está triste pelo resultado. Não é positivo. Estamos orgulhosos do trabalho que fizemos. A dedicação que entregamos ao jogo foi evidente e temos de levar isto para os outros jogos. É fundamental.»

«Estou muito orgulhoso pelo trabalho que a equipa fez. A equipa trabalhou muito, e não é fácil fazer uma oposição tão forte a uma equipa como o Benfica. O golo do Benfica surgiu no final da primeira parte, num lance de ressalto da área, e podia ter-nos afetado. Mas conseguimos dividir o jogo na segunda parte, tornando as coisas extremamente equilibradas. O Benfica ganha bem, porque fez o golo e quando se apanha em vantagem fecha bem os caminhos, para a sua baliza. Tentámos pela esquerda, pela direita, pelo meio, e se é verdade que eles podiam ter feito 2-0 nós também podíamos ter chegado ao empate.»

Acerca dos efeitos para o futuro desta boa exibição:

«Cada jogo tem a sua história, nesta fase todos são difíceis e no sábado teremos já mais um, em Setúbal.»

Rui Vitória: «O jogo merecia mais golos»
Técnico do Benfica voltou a elogiar o Feirense

Rui Vitória, treinador do Benfica, comentando a vitória dos encarnados – sétima consecutiva - sobre o Feirense, aos microfones da SportTV:

«Elogiei o Feirense antes do jogo e continuo a elogiar. Foi um jogo muito bem disputado, tanto pela nossa equipa como pelo Feirense. Tornou-se mais complicado porque não matámos a partida depois do 1-0 e isso fez com que o Feirense acreditasse até ao fim. A verdade é que o jogo merecia mais golos, dos dois lados. Reafirmo esta palavra de apreço por um adversário que se bateu bem, é uma equipa bem organizada e com critério na saída para o ataque, mas esta foi uma vitória justa, num campo difícil em que conseguimos somar mais três pontos.»

A propósito do papel de André Almeida, titular na vaga de Nélson Semedo:

«Um apaga-fogos? Se isso for visto pela positiva não me importo de subscrever. Mas com isso ás vezes procura-se tirar qualidade e o André é um jogador fantástico, que conhece o jogo em variadas posições, e que qualquer treinador gosta de ter. É um apaga-fogos de grande qualidade.»

Comentando a luta com o FC Porto pela primeira posição:

«Não estamos preocupado com os outros, o nosso foco é em nós, naquilo que temos de fazer, cada jogo é uma final para nós. A pressão no Benfica é usual e tem de ser assim, os outros não importam no nosso foco. A partir de agora é virar a página e pensar no jogo com o Dortmund.»

O Feirense-Benfica ficou marcado, também, por excessos por parte da claque No Name Boys, que atrasou o início do jogo devido ao arremesso de tochas para o relvado, gesto repetido aquando do golo de Pizzi. A isso ainda se somou uma cadeira arrancada e atirada para a baliza onde estava, na altura, o guarda-redes do Feirense. Vaná não gostou nada e a forma como atirou a cadeira para fora do relvado tornou evidente o desconforto.

A claque encarnada celebrava este sábado o 25.º aniversário e assinalou-o desta forma peculiar.

No final, Rui Vitória foi questionado sobre o comportamento dos adeptos e respondeu assim: «Sentimos uma energia fantástica. Um ou outro excesso, mas também não analisei isso ao pormenor. Dou os parabéns aos No Name Boys pelo aniversário. Estiveram muito presentes, muito ativos.»

in: MaisFutebol.iol.pt

Sem comentários: