sábado, 11 de março de 2017

V. Setúbal 1-2 Feirense | Declarações dos treinadores

Nuno Manta: «Nesta fase contava já ter 30 ou 31 pontos»

Treinador do Feirense após o triunfo sobre o V. Setúbal, que selou praticamente a permanência dos fogaceiros na Liga. Garante que grupo de trabalho tem «ambições»

Nuno Manta, treinador do Feirense, em declarações na conferência de imprensa após o triunfo sobre o V. Setúbal no Estádio do Bonfim (1-2):

[análise ao jogo]

«Uma primeira parte em que o Vitoria foi mais forte do que o Feirense. Depois, com uma situação de bola parada chegou à vantagem. Nunca conseguimos sair bem na primeira parte.

Na segunda parte fomos mais fortes. Conseguimos subir as linhas e ter mais bola. Chegámos ao golo numa bola parada. O Feirense cresceu no jogo com as alterações. Quem entrou acrescentou algo à equipa. No global, a equipa esteve bem.»

[manutenção assegurada?]

«Matematicamente aina não está nada garantido. Demos um passo importante para conseguir a histórica permanência. Quando em janeiro peguei na equipa, tive uma conversa com o grupo. Nesta fase contava já ter 30 ou 31 pontos. Temos 29. O grupo tem ambições.»

Couceiro: «Não podemos sofrer golos desta forma»

Técnico do V. Setúbal fala em desatenções cruciais. Deixa críticas às arbitragens nos últimos jogos dos sadinos, mas sublinha: «Hoje perdemos por responsabilidade nossa»

José Couceiro, treinador do V. Setúbal, em declarações na conferência de imprensa após a derrota com o Feirense no Estádio do Bonfim (1-2):

[Sexto jogo seguido sem vencer. O que está a falhar?]

«Marcar mais golos do que adversário. Quando marcar, vence. Esse é o objetivo do jogo...

Acima de tudo, temos de assumir a nossa responsabilidade. Sofremos dois golos de bola parada. O primeiro foi marcado por nós e no segundo temos mais do que tempo para defender melhor num lançamento de linha lateral. Não podemos sofrer golos desta forma.

Parece-me que há o sentimento generalizado de fora de que, como o Vitória atingiu os três pontos mais cedo, há esse sentimento de que já não é preciso ter atenção para com o Vitória. Fico muito desgostoso para com situações que se têm passado. A atenção tem de ser para todos os concorrentes. O Vitória é das equipas que menos faltas faz e que mais sofre. A partir de um determinado jogo é das que mais faltas faz e das que menos sofre. Mas há situações que não têm de ser tratadas numa conferência de imprensa. Mas a situação não é de hoje. Vem de trás e acho que não é boa para ninguém. Todos têm de ter oportunidades, devem ter, nunca ninguém cresceu sem jogar, mas é preciso também perceber que isto é uma competição profissional e temos de salvaguardar a qualidade do jogo.

Mas hoje perdemos por responsabilidade nossa. Estivemos desatentos em momentos cruciais. Há que assumir essa responsabilidade.»

in: Maisfutebol.iol.pt

Sem comentários:

DESTAQUES

CICLISMO | A equipa do Vito-Feirense – BlackJack