domingo, 30 de abril de 2017

Feirense 2-1 Marítimo | Declarações dos treinadores

Nuno Manta: «Temos 39, vamos tentar fazer 48 pontos»
Técnico do Feirense destaca «trabalho, atitude e organização» da equipa


Nuno Manta, treinador do Feirense, em declarações na sala de imprensa, após o triunfo sobre o Marítimo por 2-1:

«Para quem desconfiava do Feirense ficou dada a prova do que temos vindo a fazer. Esta vitória hoje é do trabalho, atitude e organização. Ao intervalo disse que tínhamos de correr por mais um. Gostei muito do empenho dos atletas, da equipa. Muito importante esta vitória. Há um grande sentimento de felicidade.»

«Sinto-me feliz como toda a equipa sente. Vem coroar a nossa capacidade de trabalho, organização e saber estar. O nosso objetivo é agora ganhar o próximo jogo. Temos 39 vamos tentar fazer 48 pontos. É assim que vejo o futebol.»


Daniel Ramos: «É mais fácil defender do que atacar»
Treinador não gostou do trabalho do árbitro e diz que gostava de ter mais conforto na defesa do sexto lugar

Daniel Ramos, treinador do Marítimo, em declarações na sala de imprensa, após a derrota na Feira por 2-1:

«Não foi o resultado que queríamos. Sabíamos que íamos ter um jogo deste estilo. Preparamo-nos para isso. Em termos gerais, a equipa tinha capacidade para mais. Sofremos cedo, o que fez com que sentíssemos que tínhamos de arriscar. Respondemos bem, acontece o 1-1 e o Marítimo está melhor. Aí esperávamos continuidade. Pena que tenha acontecido o lance do penalti que nos colocou em desvantagem outra vez e nos obrigou de novo a arriscar. Não deu para somar pontos, também por mérito do Feirense. Estamos muito tristes com o que se passou, com o resultado e pela forma como as coisas aconteceram.»

«O que disse ao árbitro? Desejei-lhe uma boa época. Por vezes os bons árbitros também erram. Aconteceram vários casos penalizadores para o Marítimo e dos quais lamentamos. Sentimo-nos penalizados. O erro faz parte do jogo, mas quando os erros acontecem em quantidades anormais...O quê, em contreto? Uma bola fora [no primeiro golo], sai totalmente, e não é percetível para ele. Dois elementos da equipa de arbitragem estão à minha beira não veem o que todos estão a ver. Também o critério na amostragem dos amarelos. É normal, mas não acho normal que aconteça com grande frequência contra a mesma equipa.»

«É mais fácil defender do que atacar. É mais fácil quando o resultado é positivo do que negativo. Quando é positivo a outra equipa tem de fazer muito para nos bater. O resultado branqueia e facilita tarefas. Queríamos defender o sexto lugar de forma mais confortável. Fomos muito penalizados. Justo? Quem ganha é sempre justo vencedor.»

in: MaisFutebol.iol.pt

Sem comentários: