sábado, 8 de abril de 2017

Feirense-Sp. Braga, 0-1 (destaques)

A figura: Rui Fonte

Sempre muito combativo, deu bastante trabalho aos defesas fogaceiros durante toda a partida. Esteve perto do golo após um excelente trabalho individual dentro da área (40'), tentou surpreender de calcanhar aos 57 e ofereceu um golo cantado a Battaglia dez minutos depois, mas o companheiro chegou ligeiramente atrasado. Foi inesgotável na luta, apesar de ter acabado o jogo em seco, no que se refere aos golos

O momento: Marafona segura os três pontos (72')

O jogo estava perigoso para o Sp. Braga pela busca que o Feirense iniciara na segunda parte pelo empate. Com Etebo pela frente na marcação de uma grande penalidade, Marafona defendeu com as pernas o remate do nigeriano, que saiu muito ao centro da baliza.

Outros destaques

Etebo

Algo apagado no primeiro tempo, surgiu em destaque na segunda parte, protagonizando os melhores momentos dos fogaceiros. Entre o minuto 59 e o 60 esteve perto do golo por três vezes. A 20 minutos do final da partida conquistou uma grande penalidade, que viria a desperdiçar, batendo para o meio da baliza, para defesa de Marafona.

Vítor Bruno

Raçudo como lhe é hábito, foi um dos responsavéis pelo maior domínio feirense na segunda parte, sendo sempre mais um homem no meio-campo arsenalista. Faltou-lhe melhor acerto nos livre batidos em boa posição.

Gamboa

O jovem médio de 20 anos foi a grande surpresa de Jorge Simão no onze bracarense, surgindo pela segunda vez a titular. O médio que iniciou a época na equipa B do Sp. Braga não se encolheu e foi o primeiro a tentar o golo, logo no primeiro minuto. A jogar ao lado de Vukcevic como médios mais recuados, foi raro ver Gamboa errar um passe e foram muitas as que recuperou. Marcou pontos na luta pela vaga de Assis.

Marafona

Na grande penalidade, talvez haja demérito na forma como Etebo bate o castigo máximo, mas aquilo que conta é uma defesa preponderante do internacional português, que manteve o Sp. Braga em vantagem no marcador.

Baiano

Apesar de ter tido muito trabalho defensivo, foi muito habitual vê-lo no apoio ao ataque, mais na primeira parte do que na segunda, nunca falhando também nas suas tarefas no setor mais recuado.

in: MaisFutebol.iol.pt

Sem comentários:

DESTAQUES

CICLISMO | A equipa do Vito-Feirense – BlackJack