terça-feira, 9 de maio de 2017

“Não ficaremos impávidos”

Rodrigo Nunes exige explicações à Santa Casa pelo cancelamento das apostas e promete reagir

O Paços-Feirense de sábado teve as apostas anuladas no “Placard” e noutras empresas de jogos online, deixando Rodrigo Nunes revoltado por estarem a “pôr em causa o bom nome do clube”

O Feirense voltou a ver anuladas as apostas desportivas num jogo em que está envolvido, depois de em fevereiro a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa ter feito o mesmo no encontro com o Rio Ave, devido a um alegado movimento anormal de apostas.

A decisão da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, que depois alastrou a outras casas de apostas, deixou Rodrigo Nunes, presidente do Feirense, revoltado por estarem a “pôr em causa o bom nome” do clube. “Não admito uma situação destas, não chega a Liga dizer que está a averiguar. Todos os feirenses têm que criticar e perguntar por que é que a Santa Casa, tendo o monopólio do jogo, o suspende e não dá uma explicação cabal”, criticou o dirigente, vincando que “hoje em dia, as tecnologias estão tão evoluídas que facilmente a Santa Casa e as entidades judiciais percebem quem provocou, e onde, este movimento anormal”. “Não vamos ficar impávidos a ver este clube centenário envolvido nisto”, prometeu Nunes. O líder do emblema da Feira quer saber “qual o motivo para estarem a pôr em causa o bom nome do clube” e deu um exemplo do alarme que a decisão de cancelar as apostas na partida de sábado está a provocar na população da Feira: “Não posso sair à rua com a minha t-shirt do Feirense, porque sou constantemente confrontado com pedidos de explicações. Estou revoltado com isto, com esta publicidade depreciativa sem que alguém tome medidas. A Liga e a nossa SAD têm que exigir que as entidades oficiais e judiciais apurem as responsabilidades.” Nunes vincou que “não há nada com os profissionais do Feirense e ainda bem que os jogos passam na televisão”.

in: jornal O Jogo
ANDRÉ BASTOS
JOÃO MAIA

Sem comentários: