sábado, 20 de maio de 2017

V. Guimarães-Feirense, 0-1 | Acabar em beleza...

Fogaceiros históricos até ao fim
foto: MaisFutebol

Nuno Manta Santos queria a ‘cereja no topo do bolo’, apresentou-se em Guimarães numa série de três triunfos consecutivos, o último dos quais diante do Sporting, e com enorme pragmatismo e ciente das suas limitações o Feirense saiu do D. Afonso Henriques com um triunfo histórico (0-1). Valeu o golo do estreante Tchuameni a dar o triunfo aos feirenses.

A equipa de Santa Maria da Feira conseguiu aquele que foi o primeiro triunfo de sempre sobre o V. Guimarães no principal escalão do futebol português, conseguiu uma série inédita de quatro triunfos e dobrou aquela que era a sua melhor pontuação de sempre na Liga. Os fogaceiros foram históricos até ao fim, impedindo o V. Guimarães de ultrapassar a barreira dos 62 pontos.

Já com os respetivos campeonatos resolvidos no que à tabela classificativa diz respeito, V. Guimarães e Feirense apresentaram-se para a última jornada praticamente para cumprir calendário e com as equipas reformuladas em relação ao jogo anterior. Nuno Manta Santos alterou seis peças, enquanto que Pedro Martins apresentou um onze completamente reformulado.

Vitória mandão mas sem progressão

Em ritmo de fim de época, faltou ao encontro a intensidade de outros encontros, mas ainda assim pertenceu ao conjunto de Pedro Martins uma maior dose de iniciativa, assumindo as despesas do jogo perante um Feirense na expectativa.

Um lance de bola parada em que Raphinha penteou o livre batido para a área resultou no lance de maior perigo na primeira metade. Vaná teve de se aplicar para intercetar e suster o esférico quando Rafael Martins aparecia para fazer a emenda.

Do lado do Feirense, uma jogada individual de Luís Machado que culminou com um remate cruzado perigoso foi o expoente máximo do ataque da equipa de Nuno Manta Santos. O conjunto de Santa Maria Feira esteve sempre organizado, dificultando a progressão do V. Guimarães no terreno.

Tchuameni resolve

A segunda parte começou com mais emoção. No espaço de cinco minutos as duas equipas enviaram a bola ao travessão da baliza adversária, prometendo mais audácia depois do período de descanso. Raphinha foi o primeiro a atirar ao ferro, depois de uma arrancada pela direita a deixar Kakuba para trás antes de atirar cruzado à trave.

Pouco tempo depois Platiny respondeu na mesma moeda com um potente remate de fora da área a ver Miguel Silva opor-se com mestria a fazer o esférico embater no travessão. Acabou por fazer mais sentido o aviso do Feirense, isto porque foi a equipa de Santa Maria da Feira a abrir o ativo.

Tchuameni encostou para o fundo das redes a passe açucarado de Luís Machado da esquerda, adiantando a equipa de Nuno Manta Santos no marcador numa fase em que o V. Guimarães até se ia instalando no meio campo adversário. O golo de Tchuameni foi decisivo, dando os três pontos ao Feirense, um resultado ingrato para a equipa da Cidade Berço.

Cai o pano sobre a época do Feirense, com a equipa de Nuno Manta Santos a fazer história até ao último minuto. O V. Guimarães acaba uma caminhada também ela histórica no campeonato de forma envergonhada, e aponta baterias à final da Taça de Portugal.

in: MaisFutebol.iol.pt
 

Sem comentários:

DESTAQUES

CICLISMO | A equipa do Vito-Feirense – BlackJack