sábado, 20 de maio de 2017

V. Guimarães-Feirense, 0-1 | Declarações dos treinadores

Nuno Manta: «Queremos consolidar o Feirense na Liga»

Declarações de Nuno Manta Santos, treinador do Feirense, na sala de imprensa do Estádio D. Afonso Henriques, depois do triunfo (0-1) diante do V. Guimarães em jogo da derradeira jornada da Liga:

«O nosso objetivo quando jogamos é ganhar. Acabamos a época a ganhar, foi o que o Feirense fez cá. Com atitude, empenho e garra conseguimos ganhar no D. Afonso Henriques, que é sempre um momento único. Nunca tinha ganho cá para o campeonato e conseguimos isso».

[Chegar ao quarto triunfo foi maior motivação] «Temos sempre a motivação de querer levar os três pontos. A concentração e a motivação esteve sempre nesta equipa. A nossa organização, em todos os jogos, foi coletiva e superiorizou-se ao individual».

[Próxima época?] «Já renovei com o Feirense dois anos. O principal objetivo que me propuseram é consolidar o Feirense na Liga para o ano, estar aqui para ficar».

[O que conversou com Pedro Martins?] «Cumprimentámo-nos, ele deu-me os parabéns pelo trabalho desenvolvido pelo Feirense e eu dei-lhe os parabéns pela boa época do V. Guimarães, aproveitando para lhe desejar o melhor, dentro dos possíveis, para o jogo que falta, que é muito importante para eles e para o Vitória».

Pedro Martins: «Vamos desafiados para o Jamor»

Declarações de Pedro Martins, treinador do V. Guimarães, na sala de imprensa do Estádio D. Afonso Henriques, depois da derrota diante do Feirense (0-1) em jogo da derradeira jornada da Liga:

«Temos uma final pela frente, entrámos com um processo de gestão, o grupo de trabalho tem correspondido. Hoje o jogo não foi disputado a uma grande intensidade, nem grande velocidade. Parabéns ao Feirense que venceu e pelo campeonato que fez. Gostaríamos de dedicar esta vitória aos nossos adeptos, a nós próprio, não conseguimos, mas já no domingo vamos estar mentalmente fortes. Temos uma final e as finais são para se vencer».

«Fizemos 62 pontos e um quarto lugar que desde o início ambicionámos, colocando o Vitória onde deve e merece estar, que era o objetivo. 62 pontos é mérito nosso, corresponde aos melhores quartos lugares do campeonato português. Equipas já foram campeãs com 65 pontos e outras equipas foram à Liga dos Campeões com menos. No Jamor vamos fazer tudo par tudo para sair de lá com o troféu».

[Duas derrotas condicionam? «Não. Estamos bem mentalmente, tenho a certeza disso. É verdade que as derrotas não são o melhor estímulo, mas vai ser um jogo diferente do da semana passada. Estamos desafiados para o que vamos encontrar pela frente e vamos corresponder. Vamos fazer tudo por tudo para conquistar a Taça de Portugal».

[Prémio fair-play para Pedrão?] «Conseguiu-o sendo um jogador agressivo e que impõe o seu espaço. É forte no jogo aéreo e, parecendo que não, é rápido. Joga segundo as regras do jogo e é muito eficiente e inteligente».

[Palmas no final do encontro. Sentimento no centro do relvado) «É uma emoção muito grande. Acima de tido é uma demonstração de união no clube apesar de termos perdido. Os adeptos estão connosco e acreditam».

[Estreia de Alex Pinto, ainda júnior?] «Trata-se de um jovem com qualidade. Tivemos alguns problemas com o Bruno (Gaspar) e com o próprio João (Aurélio). É uma oportunidade de homenagear todos os treinadores da formação, o Vítor Campelos e o Alex. Há muitos mais jovens a aparecer na formação. Foi uma forma de homenagear o que de tão bem se tem feito na formação do Vitória».

in: MaisFutebol.iol.pt

Sem comentários:

DESTAQUES

CICLISMO | A equipa do Vito-Feirense – BlackJack