segunda-feira, 12 de junho de 2017

AMBIÇÃO REDOBRADA

Presidente Rodrigo Nunes quer concluir o complexo desportivo iniciado em 2001
VISÃO. Rodrigo Nunes pretende crescimento do clube

A envergadura do Complexo Desportivo do Feirense, como se encontra atualmente, equipara-se a qualquer estrutura homóloga dos denominados três grandes clubes portugueses, mas o presidente Rodrigo Nunes tem em mãos um projeto ambicioso, orçamentado em cerca de 5 milhões de euros, que não só visa concluir a obra que começou a edificar em 2001, como revolucionar por completo toda a encosta adjacente à estrutura.

“No próximo mandato, durante o qual o Feirense vai celebrar o seu centenário, pretendemos terminar a obra destinada ao futebol profissional e construir ainda uma piscina, um pavilhão e uma pista de atletismo, além de reformular o campo de Sanfins, que fica a cerca de 800 metros do complexo. Contas feitas, o Feirense tem cerca de 1.000 atletas distribuídos por 11 modalidades, mas queremos mais e este empreendimento cria um espaço capaz de cativar 2 mil pessoas para a prática diária de muitas mais atividades desportivas, seja por lazer ou em competição”, explicou o dirigente, sem esconder que a estabilidade na 1ª Liga é fundamental por força das receitas que possam ser angariadas com a valorização do futebol profissional: “A percentagem que o Feirense vai encaixar com a venda do Rafa é muito significativa para o avanço deste projeto, como será a de outros ativos e por isso é que a permanência é crucial, mas também há terrenos anexos ao complexo desportivo que pretendemos urbanizar para rentabilizar o investimento.”

Clube orienta SAD a manter rigor financeiro

O rigor financeiro continua a ser o pilar a que Rodrigo Nunes mais recorre para caracterizar os quase 100 anos do Feirense e também o argumento que o leva a classificar de muito positiva a parceria estabelecida com o empresário nigeriano Kunle Soname na SAD. “Temos um investidor que é muito inteligente, boas infraestruturas e uma estabilidade inédita na 1ª Liga, pelo que só posso dizer coisas boas desta parceria”, referiu Rodrigo Nunes, justificando-se : “A SAD do Feirense tem oito meses, mas andámos muito tempo a preparar este acordo e os 30 por cento que o clube detém na sociedade têm servido como um pêndulo. Sempre fomos um emblema exemplar ao nível da gestão e o nosso papel na SAD continua a ser o de incentivar e aconselhar quem chegou de novo a perceber esta realidade com quase 100 anos de existência.”


in: jornal Record
PEDRO MALACÓ

Sem comentários: