quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Feirense: A consolidação de um lugar entre a elite após a primeira permanência

O Feirense inicia a nova época depois de ter conseguido manter-se pela primeira vez no principal escalão português
Nuno Manta tem teste de fogo esta época
O Feirense chega à nova época após ter conseguido, em 2016/17, a primeira permanência do clube no principal escalão do futebol português. Nas restantes quatro aparições na Liga (2011/12 – 15º; 1989/90 – 18º; 1977/78 – 16º; 1962/63 – 14º), o emblema de Santa Maria da Feira não tinha conseguido alcançar a façanha de continuar entre a elite do futebol português, pelo que a segunda temporada consecutiva no principal escalão tem como primordial intuito a consolidação e evitar a descida de divisão o mais cedo possível.

É com este estado de espírito que Nuno Manta Santos e os comandados do jovem treinador encaram 2017/18, após o oitavo lugar conseguido na época passada. Pela primeira vez a vivenciar a segunda temporada consecutiva no principal escalão, o objetivo a longo prazo passa pelo crescimento da equipa, de forma a que o Feirense se mantenha “o máximo de tempo possível na Liga”, tal como salientou Nuno Manta Santos à imprensa, no início de julho, à margem de um treino dos fogaceiros. "O nosso objetivo é conseguir a permanência da forma mais tranquila possível. Trabalhámos muito para conseguir o oitavo lugar da época passada e é esse trabalho que pretendemos continuar a fazer. Vamos dar o máximo nos jogos”, eis palavras do timoneiro do emblema do distrito de Aveiro.

Com o centenário do Feirense à vista, a ocorrer em 2018, o futebol que os responsáveis pretendem que o Feirense apresente dentro das quatro linhas na temporada que se aproxima estará enquadrado nos parâmetros daquilo que o clube tem feito em tempos recentes. “A ideia é discutir todos os jogos com a cultura do Feirense, de tentar ficar sempre com os três pontos”. É esta a mentalidade que Nuno Manta Santos quer ver preconizada no relvado pelos jogadores do emblema de Santa Maria da Feira. A prever um campeonato pautado pelo equilíbrio, fruto dos reforços dos planteis das equipas adversárias e da utilização do vídeo-árbitro, tecnologia sobre a qual os fogaceiros receberam formação recentemente, o timoneiro do clube conhece em 2017/18 uma realidade distinta da que vivenciou na época passada.

Nuno Manta Santos com ‘teste de fogo’ depois da ‘salvação’

Nuno Manta Santos parte para esta temporada numa situação díspar do que aconteceu em 2016/17. Apenas em dezembro do ano passado, o treinador chegou ao comando técnico do Feirense, ao suceder a José Mota como timoneiro do conjunto de Santa Maria da Feira. Ora, nesta temporada, Nuno Manta conhece um novo paradigma, o de iniciar a campanha no campeonato, situação diferente da que é experienciada por uma chicotada psicológica. Prova disso mesmo é o facto de a Liga portuguesa ser pautada por vários despedimentos precoces de treinadores que conseguiram salvar os clubes da descida de divisão na época anterior.

Assim sendo, Nuno Manta Santos tem em 2017/18 o verdadeiro teste, depois de ter conseguido alcançar o oitavo posto na tabela classificativa na temporada transata. O treinador de 39 anos alcançou a façanha de levar o Feirense do 17º lugar até ao oitavo, naquela que foi a primeira permanência do clube entre a elite do futebol português.

“Uma das maiores promessas do futebol mundial” no plantel

“O CD Feirense chegou a acordo com uma das maiores promessas do futebol brasileiro e mundial.” Foi desta forma que os fogaceiros anunciaram, no início de junho, a contratação de Luís Henrique, jovem avançado brasileiro de 19 anos. Caracterizado pelo próprio clube como um jogador veloz, tecnicista, com o drible, cabeceamento e remate com os dois pés como principais armas, Luís Henrique chegou a Santa Maria da Feira proveniente do Atlético Paranaense.

Com uma carreira ainda curta, fruto dos 19 anos, Luís Henrique teve em 2015 o ano no qual demonstrou maior veia goleadora, ao ter marcado 14 golos em dez encontros realizados na Copa Brasil Sub-17. Já foi apontado ao Arsenal, mas é no Feirense que dá os primeiros passos no futebol europeu, aquisição que deixou bem satisfeitos os responsáveis do emblema de Santa Maria da Feira, facto comprovado pelo anúncio que mereceu a contratação do jovem atacante brasileiro.

Ora, a contratação de Luís Henrique surge também na sequência da perda de dois avançados com peso no plantel do Feirense. Tasos Karamanos, reforço do Rio Ave para 2017/18, esteve na época passada emprestado ao Feirense pelo Olympiakos e foi um dos principais ‘abonos de família’ do ataque do clube, ao ter apontado sete golos em 2016/17, tantos como Platiny, avançado brasileiro que também deixou Santa Maria da Feira nesta temporada, para rumar a Chaves. As aquisições de José Valencia e Gustavo Ermel são também formas de colmatar as saídas de jogadores preponderantes no momento ofensivo do Feirense dentro das quatro linhas.

Por falar em saídas, é de destacar também a de Vaná Alves, que rumou ao FC Porto. Com importância crucial para os destinos do Feirense na temporada passada, ao disputar 25 jogos no campeonato, o guardião brasileiro destacou-se pelas exibições realizadas, principalmente diante dos ‘três grandes’ do futebol português. A saída de Vaná foi golpe de peso no plantel do Feirense, mas o clube já procedeu à contratação de Caio Secco, guardião formado precisamente no mesmo clube do antecessor, o Coritiba.

Com o fim da pré-temporada à vista, os encontros de caráter particular não tem decorrido de feição ao Feirense, ainda que a larga maioria dos treinadores preconizem que o resultado não é o mais importante nesta fase. Das sete partidas realizadas, apenas por duas vezes o emblema de Santa Maria da Feira conseguiu triunfar, contra o SC Covilhã e o Varzim, tendo sido derrotado por três ocasiões e empatado em duas. O primeiro compromisso oficial da época agendado para a próxima segunda-feira, dia 7 de agosto, pelas 19h, diante do CD Tondela, a contar para a primeira jornada do campeonato português.

PLANTEL

Guarda-redes: Caio Secco, Murilo Prates, Dele Alampasu, Ivo Eichman;

Defesas: Kakuba, Briseño, Babanco, Luís Rocha, Bruno Nascimento, Kiki, Jean Sony, Flávio Ramos, Barge;

Médios: Cris, Luís Aurélio, Tiago Silva, Alphonse, João Tavares, Fabinho;

Avançados: Luís Henrique, Gustavo Ermel, José Valencia, Hugo Seco, Edson Farias, Zé Pedro, Peter Etebo, Luís Machado, Youssef;

Treinador: Nuno Manta Santos (39 anos), técnico principal do Feirense desde dezembro de 2016.

TRANSFERÊNCIAS

Entradas: Murilo (Oeste/Brasil), Caio Secco (Coritiba, Brasil), Kiki (Olhanense), Bruno Nascimento (Omonia Nicósia/Chipre), Briseño (Veracruz/México), Alphonse (Gil Vicente), Youssef Obama (Zamalek/Egito), Gustavo Ermel (Figueirense/Brasil, por empréstimo), Zé Pedro (Gafanha), Luís Henrique (Atlético Paranaense/Brasil), José Valencia (Independiente de Santa Fé/Colômbia).

Saídas: Vítor Bruno (Boavista), Rúben Oliveira (Vitória de Guimarães), Ricardo Dias (Belenenses, fim de empréstimo), Pelé (Rio Ave), Karamanos (Olympiakos, fim de empréstimo), Platiny (GD Chaves), Peçanha (Académico de Viseu), Ícaro, Paulo Monteiro, Wellington, Vaná Alves (FC Porto).

ONZE BASE DO FEIRENSE PARA 2017/18 



PRÉ-ÉPOCA

08/07/2017 Feirense, 1 – Oliveirense, 1

12/07/2017 Feirense, 2 – SC Covilhã, 0

15/07/2017 Feirense, 1 – Académico de Viseu, 1

18/07/2017 Feirense, 1 – Boavista, 2

19/07/2017 Feirense, 1 – Vitória de Guimarães, 3

22/07/2017 Paços de Ferreira, 3 – Feirense, 1

28/07/2017 Feirense, 1 – Varzim, 0 

in: Bancada.pt

Sem comentários: