segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Feirense-Tondela, 1-1 (destaques)

Hugo Seco a materializar o equilíbrio

foto: MaisFutebol
A FIGURA: Hugo Seco

Primeira parte de menor fulgor, mas foi através do extremo que o Feirense galgou metros e sublinhou o perigo após o intervalo, que culminou com o golo do empate apontado pelo jogador de 28 anos. Espelhou o que, para um início de campeonato, foi uma batalha dura e intensa pelos três pontos. Saiu perto dos 90, com uma das maiores ovações da noite.

O MOMENTO: o oportunismo para o empate (51m)
O Feirense entrou a todo o gás na segunda parte e cedo conseguiu o golo do empate. Hugo Seco estava em zona oportuna na área e aproveitou o corte de Hélder Tavares, na sequência de um livre de Tiago Silva, para igualar a contenda.

OUTROS DESTAQUES:

Pedro Nuno
Homem das bolas paradas e verdadeiro motor no último terço do Tondela. Forte no apoio a Heliardo, foi preciso ser travado em falta pelos homens da casa para que menos estragos causasse na área de Caio Secco.

Etebo
Foi uma seta apontada à baliza do Tondela e por várias vezes esteve perto do golo. Com défice no jogo aéreo – Ricardo Costa e Osorio superiorizaram-se neste capítulo – foi com velocidade e pontaria que cheirou o golo. Alguma falta de sorte e eficácia defensiva contrária não lhe permitiram o sucesso.

Cláudio Ramos
Se o marcador não mexeu mais vezes – principalmente nos primeiros 45 minutos – muito se deveu ao guardião do Tondela. Três grandes defesas (duas a Etebo, uma a Babanco) acentuaram reflexos e êxito na saída entre os postes. Sem tanta evidência na etapa complementar, apesar do golo sofrido, concluiu um início de relevo na liga.

Ricardo Costa
Se a experiência conta para no futebol, o central português mostrou-o neste regresso à liga. Pese o ritmo de parada e resposta ao longo do desafio, o jogador de 36 anos esteve imperial no centro da defesa. Ganhou todos os lances pelo ar, limpou quaisquer recargas possíveis junto da baliza de Cláudio Ramos, anulando vários cruzamentos e pontapés de canto para a área dos beirões. A idade conta e, no segundo tempo, foi menos veloz, mas aplicou – e bem – o sentido posicional e tático à equipa.

Caio Secco
À semelhança do colega de posição, bons apontamentos naquela que foi uma estreia absoluta no campeonato português. A sua estatura – 1,92 metros – ajudou nos lances aéreos e a fechar a baliza nos lances de um para zero. Negou lances iminentes de golo a Pedro Nuno e Murilo e foi mantendo atenção e rigor ao longo do jogo.

in: MaisFutebol

Sem comentários:

DESTAQUES

CICLISMO | A equipa do Vito-Feirense – BlackJack