domingo, 6 de agosto de 2017

João Tavares: “Agora jogo contra adultos, o futebol vai ser muito mais exigente”

Chegou cedo a clubes grandes, já vestiu a camisola de FC Porto e Benfica e agora vai estrear-se como profissional perto de casa e da família
foto: CD Feirense
MÉDIO João Tavares só tem 18 anos, mas a sua vida futebolística já deu muitas voltas. O que todos os futebolistas sonham e a maioria não chega a alcançar – vestir a camisola de um grande –, ele já o conseguiu. Por duas vezes. Primeiro no FC Porto, depois no Benfica. Um trajeto vertiginoso que o levou de volta ao concelho onde nasceu, Santa Maria da Feira, para se estrear agora como profissional na I Liga com as cores do clube local, o Feirense.

Curiosamente, o médio só chegou ao principal clube da terra quando entrou na fase final da formação, já depois de passar pelos grandes. Antes disso, tudo começou no Milheiroense, na freguesia de Milheirós de Poiares, de onde é natural, e onde o irmão “também começou a jogar futebol”, justifica Tavares, que aos 11 anos seguiu as pisadas do mano mais velho e foi jogar para o Leixões. “Lembro-me de o Feirense ter falado comigo, na altura, mas eu sempre fui muito próximo ao meu irmão e quis ir jogar para o clube onde ele estava também”, recorda ao DN.

De Matosinhos até ao FC Porto, no ano seguinte, foi um saltinho. Dos dragões saiu para o Benfica, mas a experiência menos feliz abriu-lhe então as portas para regressar a Santa Maria da Feira e vestir, por fim, a camisola do Feirense. “Como era perto de casa, não hesitei”, conta João Tavares, que teve de se agarrar aos sonhos de menino e não desanimar: “Tinha de acreditar em mim.”

No Feirense, o médio já treinou regularmente com o plantel sénior na época passada, embora a jogar pelos juniores. Este ano, foi promovido oficialmente à equipa principal. “É uma felicidade enorme, logo na primeira época como sénior ter a oportunidade de me estrear no futebol profissional. E poder estrear-me perto de casa, da família, no clube da minha zona, é especial”, assume o médio, que cresceu a alimentar o sonho de marcar um golo numa final da Champions.

Para já, anseia cruzar-se nos relvados da I Liga com o benfiquista Pizzi e o portista Rui Pedro (“um grande amigo”), numa época em que a ambição passa por “concretizar a estreia” na primeira divisão e “ajudar o Feirense com todos os minutos” que lhe forem dados. Mas com a consciência de que esta “vai ser uma realidade muito diferente”. “Agora jogo contra adultos, o futebol vai ser muito mais exigente para mim e tenho de me adaptar rápido.”

in: jornal Diário de Notícias

Sem comentários:

DESTAQUES

CICLISMO | A equipa do Vito-Feirense – BlackJack