quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Feirense em crise, mas "não vai ficar nestes lugares"


Apesar da série muito negativa de resultados, Paulo Monteiro, antigo jogador do Feirense, mantém confiança em Nuno Manta

Nuno Manta foi uma das melhores surpresas nos bancos de suplentes da Liga Portuguesa na época passada, assumindo o comando do Feirense que José Mota tinha deixado em 17.º lugar e levando-o até à oitava posição. No entanto, o seu registo nos últimos dez jogos é pior até do que o dos últimos dez jogos de José Mota, pelo que se poderá questionar se o desempenho da época passada representa o verdadeiro valor de Nuno Manta ou se este beneficiou apenas do efeito psicológico da troca de treinadores. O Bancada falou com Paulo Monteiro, que jogou no Feirense na época passada, e que, entre muitos elogios a Nuno Manta, garantiu que os maus resultados recentes (e o 15.º lugar) se tratam apenas uma de uma fase má.

Nos últimos dez jogos, o Feirense regista apenas uma vitória, dois empates e sete derrotas, enquanto nos seus últimos dez jogos, José Mota registou uma vitória, três empates e seis derrotas. É a pior série de Nuno Manta, cujos registos na época passada estiveram ao nível dos melhores clubes. A sua melhor série teve lugar nas últimas dez jornadas do último campeonato, quando o Feirense somou 22 pontos (sete vitórias, um empate e duas derrotas), tantos como Benfica, Sporting e Vitória de Guimarães. Nenhuma equipa em Portugal fez melhor nesse período.

Para melhor observar o desempenho de José Mota e Nuno Manta, fizemos a média de pontos conseguida pelos treinadores em cada conjunto de dez jogos realizados, contabilizando os jogos das Taças como se valessem pontos. Assim, cada ponto do gráfico representa a média de pontos conseguidos nos dez jogos anteriores.



O gráfico mostra que José Mota foi substituído por Nuno Manta após a sua pior fase a nível de resultados e que Nuno Manta conseguiu fazer subir muito esses registos até ao final da época. (Apesar de o atual treinador do Feirense ter entrado logo a vencer, a linha do gráfico não sobe logo porque a média dos primeiros jogos ainda é feita com os jogos anteriores, da era José Mota.)

Esta época, no entanto, os resultados não têm correspondido às expectativas e a linha está num valor mais baixo do que aquando da saída de José Mota, o que significa que a média de pontos conseguida pelo anterior técnico nos seus últimos dez jogos foi superior à média de pontos conseguida por Nuno Manta nas últimas dez partidas. O cenário não é positivo para o treinador, mas há quem mantenha a confiança nele, como é o caso de Paulo Monteiro, que participou em 16 jogos do Feirense na temporada passada e que está atualmente sem clube, após ter estado sete meses de baixa após uma grave lesão (fratura dos ossos da face e deslocação do maxilar).

Paulo Monteiro tem a certeza de que o clube "não vai ficar nestes lugares"

Paulo Monteiro não tem dúvidas de que a equipa vai melhorar os seus registos e que Nuno Manta continua a ser o treinador certo. "Todas as equipas passam por fases e a classificação neste momento não corresponde em nada ao valor da equipa juntamente com o valor da equipa técnica, porque eu conheci vários treinadores e o Nuno [Manta], que está na primeira experiência no futebol sénior como treinador principal, mostrou-se muito capaz. Ele usava métodos que eu, com tantos anos de experiência no futebol, ainda não tinha encontrado em nenhum treinador. É um treinador atualizado, trabalha bem, a mensagem dele passa muito bem", disse o jogador de 32 anos.

Assim, os maus resultados devem-se, em parte, a "falta de sorte e alguns pequenos detalhes", disse o jogador, lembrando que o Feirense "perdeu os últimos dois jogos [frente a Aves e Vitória de Guimarães] nos últimos minutos. No ano passado acabámos por ganhar muitos jogos no final, mas tenho a certeza absoluta de que o Feirense não vai ficar nestes lugares porque tanto o plantel como a equipa técnica têm muita qualidade", afirmou, apontando também que "os jogadores estão a passar uma crise de confiança. O ano passado tudo corria da melhor forma, isso acredito que seja um dos fatores".

A entrada de Nuno Manta e as diferenças para José Mota

Paulo Monteiro recordou o momento da entrada de Nuno Manta para substituir José Mota na temporada passada, explicando a que se deveu o seu sucesso. "Estávamos numa fase má, ele entrou e o grupo aceitou muito bem a forma de ele trabalhar e as ideias dele", disse o jogador, reconhecendo que o facto de os resultados terem aparecido de imediato também ajudou. "Fez um trabalho espetacular, tudo o que ele dizia era o que acontecia em campo, ele adivinhava! Dizia: 'vamos entrar com esta equipa, vamos aguentar e na segunda parte vamos ganhar o jogo' e aquilo foi constantemente assim", conta.

Nuno Manta destaca-se também pela relação que consegue criar com os jogadores, segundo Paulo. "Todos os jogadores têm uma boa relação com ele, é um treinador muito terra a terra, muito fácil de dar e aquilo que ele planeava acontecia. O Nuno trabalha muito bem o efeito psicológico, entra bem na cabeça dos jogadores. [Com José Mota] era bastante diferente, o Nuno é um treinador de ter conversas com os jogadores de ter uma relação como se fosse de amigo para amigo, tem essa abertura... é diferente e aquilo teve impacto no grupo e os resultados começaram logo a acontecer", explicou Paulo Monteiro, garantindo que as qualidades do treinador não se ficam por aí. "A opinião que tenho é de que ele é um treinador muito capaz. É dedicado, analisa muito bem as outras equipas, tem bons processos de treino, não vejo que a razão dos maus resultados passe pelo Nuno."

Certo é que os resultados do Feirense não têm correspondido às expectativas e Nuno Manta terá de inverter a situação rapidamente, caso contrário arrisca-se a não ter tempo de provar todas as qualidades que Paulo Monteiro lhe aponta. As próximas semanas trarão a resposta.

in: Bancada.pt

1 comentário:

João SCP disse...

Boas,

Votem na votação sobre os melhores defesas-centrais da Primeira Liga portuguesa em http://galaxiafutebolistica.blogspot.pt

Abraços

DESTAQUES

“Não havia margem para erros, mas a relação no Feirense foi espetacular e com resultados”

foto: jornal Correio da Feira Susana Torres, mental coach (alta performance em desporto) Como é que alguém de Gestão e que trabalho...